O que se entende, hoje em dia, sobre o conceito de “promoção”? Para muita gente, uma promoção relaciona-se diretamente com vendas. O que não é inteiramente verdade.  Em um artigo escrito por Guilherme de Almeida Prado, presidente da AMPRO, existe atualmente uma classificação que ajuda a diferenciar o conceito de “promoção”, através da sua relação com as vendas.

As promoções monetárias são aquelas que envolvem ações que se relacionam diretamente com o preço do produto no ponto de venda, como cupons, descontos e packs do tipo “leve 3, pague 2”. Esse tipo de ação tem como objetivo direto aumentar as vendas do produto, e não agregam valor ao mesmo, ou à marca de sua empresa fabricante. Já as promoções não-monetárias são aquelas que empregam diferentes técnicas, com um objetivo de agregar valor a um produto, serviço ou marca. É nessa segunda classificação que uma marca tem uma maior aproximação de seus clientes.

Além do objetivo de agregar valor, as promoções não-monetárias apresentam outra coisa em comum: todas elas geram experiência. Essa experiência pode ser desde as mais simples, como o ato de provar uma amostra grátis, até das mais complexas e duradouras, como participar de concursos culturais, eventos periódicos ou jogar um advergame (uma espécie de jogo criado com fins promocionais). E é essa experiência que faz com que as promoções não-monetárias possam atingir outros objetivos, incluindo o incremento das vendas.

Alguns exemplos recentes de promoções não-monetárias que ilustram da melhor forma o que significa essa experiência:

Ação conjunta entre Burn e Azul Linhas Aéreas

As duas marcas juntaram-se para promover o retorno do Projeto Azul Balada (que realiza vôos para dez destinos, aos sábados, para baladeiros de plantão curtirem festas em outras cidades e voltarem para casa no domingo) e do Circuito Let’s Burn, uma festa que aconteceu em Marina da Glória (RJ). Em um dos vôos comerciais da Azul, a marca de energéticos da Coca-Cola promoveu um pocket show da cantora espanhola Nalaya Brown, uma das atrações do palco eletrônico do Rock in Rio. Uma ação que gerou uma experiência única para os tripulantes do vôo, além de ajudar a promover as duas marcas, o projeto da Azul e o evento realizado pelo Burn.

Mala direta eletrostática da Toyota

Para divulgar o lançamento do Yaris, seu novo modelo esportivo, a fabricante automotiva desenvolveu uma ação para mexer com os sentidos de seu público-alvo: uma mala direta eletrostática que, ao ser aproximada da pele, arrepia os pelos do corpo. Tudo para promove o “toque excitante do novo Yaris”. Uma ação simples, mas de pura experiência, que trabalha de forma inteligente os sentidos.

Primeiro torneio universitário de futebol virtual, promovido pelo Guaraná Antarctica

Para reforçar sua relação com o universo jovem, e aproveitando o status de patrocinadora oficial da Seleção Brasileira de Futebol, o Guaraná Antarctica usa o ambiente digital para promover um campeonato de futebol virtual. Os vencedores ganharão um Playstation 3 e uma viagem para assistir a um jogo da Seleção Brasileira na Europa. Um bom exemplo de ação promocional que faz o consumidor vestir a camisa da marca e participar de uma experiência única. Aliás, neste caso em particular, o prêmio é uma das conseqüências: a oportunidade de participar da primeira edição de um campeonato, que envolve futebol e o ambiente digital, já vale a participação para quem se inscreve.

Como vimos acima, as possibilidades e técnicas são inúmeras, mas é a experiência promocional que traz o consumidor para junto de um produto, serviço ou marca. Trabalha suas sensações, percepções, necessidades e vontades. O que levamos como lembrança em nossas vidas, é o que experimentamos nelas, e isso faz parte da essência do conceito de “promoção”.

Informações do post via: AMPRO, MKTMais.com e PromoView.


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz